Roma – La Città Eterna!

Oi gente! Faz um tempinho que não escrevo, mas decidi retornar! Para reabrir os trabalhos, nada melhor do que ela, a cidade eterna: Roma!

A primeira vez que estive em Roma eu chorei. Pode parecer patético, mas eu chorei. Eu tive a alegria de ter um professor de História da Arte no Brasil (beijos para o prof. Erivaldo) que me contagiou. Todas as suas aulas eram tão interessantes que eu quando mi vi em Roma, diante de algumas daquelas obras que eu até então via somente nos livros e/ou DVDs, eu simplesmente fiquei louca e os arrepios eram constantes, e as lágrimas também. Hoje Roma praticamente virou parada obrigatória na minha vida. Quando os amigos vêm do Brasil e passam por Roma, os encontro lá. Muitos dos vôos que eu pego para outros países saem de Roma, e, quando estou entediada em casa, vou passar o dia em Roma (coisa chata). Mas vamos a parte que talvez vos interesse mais!

Roma nasce no ano 753 a.C. Foi governada por Reis e também por Imperadores. Se transformou no domínio temporal da Igreja durante a era Medieval, permanecendo sede da Corte do Papa até 1870, quando o exército Italiano entrou em Roma e a tornou a Capital da Itália Unida. Eu sempre digo que Roma é um museu à céu aberto, mas vou tentar deixar dicas práticas sobre monumentos a serem vistos, como evitar filas, a melhor forma para se locomover, etc.

MUSEU VATICANO:

Dica importantíssima!! Compre os ingressos pela internet e evite as enormes filas para visitar o local!!!!!!!!!!!! No link anteriormente inserido vocês podem escolher a tipologia de ingresso: só a visita, visita + almoço, visita + audioguia, e por aí vai… Daí chegando ao local é só se dirigir ao guichê exclusivo para a retirada dos ingressos anteriormente reservados pela internet. Esta é uma das paradas obrigatórias, não há alma, amante do belo, que não se redima ao fascínio maravilhoso deste lugar. Composto por várias salas, galerias e museus dentro do museu, ele requer um dia praticamente inteiro dedicado à visita, fechada com chave de ouro pela admiração da Capela Sistina. Vá preparado para ficar em silêncio e não poder fotografar aquele momento (e por favor gente, vamos respeitar). Conselho: pegue o audioguia.

BASÍLICA DE SÃO PEDRO:

“Ir a Roma e não ver o Papa é como não ter ido”. Levei uns 5 anos para concretizar isso na minha vida, para o desgosto da minha mãe. De ver o Papa claro, porque ir à Basílica foi uma das primeiras coisas que fiz. A fila é longa, e não tem como evitar, porém não se espera muito no relento (durante o verão é legal ter uma garrafinha de água enquanto está em pé torrando debaixo do sol, assim como ter passado protetor solar, ter um chapéu, ou até mesmo uma sombrinha). A entrada é gratuita. ATENÇÃO para as roupas. Lembre que por mais famoso que seja este lugar, as regras aqui existem e são respeitadas! Após ter visitado todo o interior da Basílica, vale à pena subir até a cúpula. O ingresso é vendido em uma bilheteria lateral à Igreja, e custa EUR 8,00. OBS: para ver o Papa leve um binóculo. Ele aparece numa janelinha lateral para o Angelus dos domingos, ao meio dia.

CASTEL SANT’ANGELO:

Aproveite que você já está por perto e estique da Basílica até o Castelo (dá para ir andando). Este monumento foi idealizado pelo Imperador Adriano para que servisse de sua tumba, o “Hadrianeum”. Acolheu os restos mortais dos membros da família imperial até Caracalla. Conta a lenda que o seu nome atual deriva de uma graça concedida, quando a cidade sofria com as pragas S. Gregorio Magno implorou a virgem que o pesadelo chegasse ao fim, a imagem de um anjo com uma espada no alto do mausoléu foi vista naquele momento, em seguida uma capela e uma escultura foram construídas em homenagem ao anjo e o monumento ganhou o nome que permanece até hoje. Ingresso EUR 11,00.

PANTHEON:

É o único monumento clássico que restou em Roma. Entrada gratuita. Tá bem no centrão que dele dá pra chegar a pé a…

PIAZZA VENEZIA/VITTORIANO:

A entrada ao monumento (amo este lugar) é gratuita, porém algumas áreas no interior são pagar como o museu e o elevador panorâmico. No terraço tem um bar bem legal, dá para almoçar (não espere uma obra prima da gastronomia, mas mata a sua fome), um café, um drink, descansar as pernas e apreciar a vista.

MUSEI CAPITOLINI:

Ao lado do Vittoriano, merece sem sombra de dúvidas a visita. Enorme e lindo requer praticamente o dia inteiro (ou pelo menos a metade dele). Também aconselho pagar um pouco a mais para ter o audioguia, ele é muito grande e possui várias obras, então para quem aprecia a arte e gosta de admirar fará toda a diferença. Não lembro exatamente quanto nós pagamos mas acho que foram EUR 17,00.

PIAZZA DI SPAGNA:

Quem sair da Piazza Venezia pega a rua que vê na frente grande cheia de gente (Via del Corso) e segue reto, lá quase no final vira a direita na Via Condotti, meninas e meninos que adoram gastar, é o lugar! Todas as grifes estão aqui e esta rua te leva direto à escadaria de Piazza di Spagna, sente lá, e se for um dia ensolarado espere o pôr-do-sol, se já for noite curta o clima que também é legal. Também na Via Condotti tem o Antico Caffè Greco, caro, porém bom! Permitam-se!

FONTANA DI TREVI:

A coisa mais linda desse mundo, atualmente em restauro, tem só uma passarela que te dá acesso às esculturas mas que não podem ser vistas direito porque estão cobertas. Mesmo assim a galera ainda joga a sua moedinha.

Mapa desse trecho.

COLOSSEO:

Aqui eu paro novamente para dar outra dica: comprem o ingresso pela internet!!!!!! Desta for vocês evitarão filas enormes, e ainda podem ter acessos a áreas reservadas. Detalhe importante!! Quem compra o “underground” tem que obrigatoriamente comprar o ingresso normal de entrada ao monumento. E o Coliseu é parada obrigatória né gente?! Ah, com o ingresso do Coliseu também podem ser visitados o Foro e o Palatino que estão logo ao lado (não necessariamente no mesmo dia).

Passando pelo ARCO DI COSTANTINO ao lado do Coliseu dá para ir andando até o CIRCO MASSIMO, passando também pela BOCCA DELLA VERITÀ (já perceberam que eu caminho bastante né?). E daqui é um pulo para chegar às Termas.

TERME DI CARACALLA:

Se vocês se deixarem levar pela imaginação, este lugar é incrivelmente lindo. Contemporaneamente 1.600 pessoas nas grandes salas de banhos quente, morno e frio, além de academias de ginástica todos decorados com os mármores mais raros, colunas colossais e estátuas lindíssimas. Quem estuda na Italia paga a metade, mas detalhe, segundo a mocinha da bilheteria, nem todos os cursos são autorizados (achei isso história para boi dormir, se é estudante é estudante). Ingresso + audioguia EUR 16,00.

Mapa do trecho.

Nos últimos 4 dias que passei em Roma estes foram os monumentos que visitamos e ainda fomos à VILLA BORGHESE PIAZZA DEL POPOLO. Nos organizamos da seguinte forma: saíamos cedo pela manhã para aproveitar bastante o dia, depois de bater perna o dia todo voltávamos ao hotel para descansar um pouco e sairmos novamente à noite. Nos hospedamos em Trastevere, no Window on Rome (mil beijos para o Sr. Renato que foi um amor de pessoa) desta forma torna-se impossível não curtir um pouco das noites Romanas neste bairro delicioso!

ONDE COMER? Durante esta passagem pela Capital, tive o grande prazer de descobrir um cantinho delicioso, em todos os sentidos: charmoso, no bairro cool de Trastevere, atendimento excelente, e a comida MARAAAAAAAAA!! O nome do Bistrot é DOT. Detalhe, se forem no final de semana, reservem antes!!!

Para quem vai ficar mais de 3 dias e quer aproveitar tudo e não perder tempo caminhando tanto, aconselho fazer o ROMA PASS, com ele vocês podem utilizar os transportes públicos e tem direito à entradas gratuitas ou descontos em alguns monumentos.

O QUE VESTIR/O QUE CALÇAR?

Levem sapatos confortáveis porque além de alguns lugares, que certamente visitarão, não serem asfaltados (são aquelas pedras enorme ou paralelepípedos) Roma tem muita coisa que a gente só vê explorando a cidade a pé. E viajar é isso né, caminhar, descobrir, superar os nossos limites físicos (os meus calos que o digam). As meninas podem ficar tranquilas que a noite dá pra usar um saltinho. Lembrando que no inverno sapatos fechados e preferivelmente impermeáveis. Primavera e verão é como no Brasil.

Para quem viaja no inverno é importante se vestir por camadas, para aguentar o frio ao ar livre e poder ir tirando as peças quando dentro de alguns museus, exemplo, que são aquecidos. Lembrem que saias/vestidos curtos não são aceitos em qualquer lugar, assim como entrar de Havaianas. Na primavera os dias conseguem ser quentinhos mas a noite esfria, então é fundamental ter um casaco sempre na bolsa para quem passa o dia todo fora. E no verão preparem-se para derreter, faz muito calor, então nós Tupiniquins tiramos isso de letra e sabemos bem como nos vestir (sempre com sensatez).

Espero que as dicas vos tenha sido de grande utilidade, e coloquem já Roma na lista dos próximos destinos, é sem sombra de dúvidas uma das cidades mais incríveis da Europa, ou melhor do mundo.

Não estava com a máquina fotográfica desta vez, então me perdoem pela resolução “massa” do telefone!

Buon Viaggio!!!!

Piazza San Pietro Piazza Venezia Foro Romano Terme di Caracalla Musei Capitolini Foro Romano Colosseo TrasteverePantheon

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s